O Melhor Sistema de Gerenciamento de Dinheiro do Mundo

A principal causa do fracasso financeiro da maioria das pessoas é que elas não tem nenhum sistema de gerenciamento de dinheiro.

Esse artigo vai te propor um  e vai te mostrar como você pode moldá-lo às suas necessidades.

A grande beleza desse sistema é a sua flexibilidade.

Esse artigo é aplicado a qualquer pessoa. Se você vive de um salário mínimo, você tem uma riqueza.

E esse é o primeiro ponto: você deve tratar bem o seu dinheiro, mesmo que ele seja pouco. Se você não consegue lidar com pouco dinheiro, jamais vai conseguir lidar com muito.

Continue lendo esse artigo para saber:

Divida o seu dinheiro em contas

Ao separar o seu dinheiro em contas, é muito mais fácil fazer o gerenciamento.

Quando você separa o que você ganha em contas, você terá uma noção muito melhor dos seus gastos.

Todas as pessoas bem sucedidas financeiramente fazem essa divisão de contas de forma intuitiva.

Você tem a obrigação de saber quanto você gasta por mês com alimentação, com transporte.

Uma estrutura de contas que eu utilizo bastante é a seguinte:

Os autores Gustavo Cerbasi e T. Harv Eker recomenda, ainda, a inclusão de uma conta de Doações. Nesse caso, você poderia destinar 55% para Necessidades e 5% para Doações.

Agora, vamos analisar cada uma dessas importantes contas.

Construção de Patrimônio

O principal objetivo de um sistema de gerenciamento de dinheiro é te deixar um pouco mais rico a cada mês. Isso significa que, todos os meses, você deve colocar um pouco de dinheiro na conta de construção de patrimônio líquido.

crescimento-patrimonio

No artigo, falamos que o patrimônio líquido é a principal ferramenta para alcançar a independência financeira.

A independência financeira é o estágio em que você possui uma receita passiva superior às suas despesas.

A receita passiva é tudo aquilo que você ganha sem a necessidade de trabalhar ou suar a camisa, como aluguéis de imóveis, juros de aplicações e dividendos de ações.

Em outras palavras, é o dinheiro que brota na sua conta bancária. Trata-se da sua recompensa por ter um gordo patrimônio líquido.

Quando a sua receita passiva é superior às suas despesas, você é completamente livre para viver da forma como deseja.

Você não precisará trabalhar amanhã, porque o dinheiro simplesmente brota na sua conta.

Você poderá tirar férias. Viajar para onde quiser. O dinheiro simplesmente brota.

O patrimônio líquido é a sua galinha dos ovos de ouro. Você tem a galinha e come os ovos.

Enquanto você cuidar bem da galinha, ela vai pôr os ovos e você vai viver deles.

E qual é a época certa de matar a galinha?

Nunca!

Você nunca deve matar a sua galinha dos ovos de ouro. Em outras palavras, você nunca deve gastar o dinheiro que foi reservado para a construção de patrimônio.

Nunca. Mais uma vez? Nunca gaste esse dinheiro.

Aqui, temos um importante princípio dos investimentos: “Patrimônio não se gira. Patrimônio se acumula.”

Para construir o seu patrimônio, você deve escolher as aplicações mais rentáveis. Agora, você deve estar se perguntando:

Mais retorno implica mais risco? Certo?

Errado. Essa é uma grande mentira que os bancos te contam para que você invista nas aplicações que eles querem te vender.

Não existe uma aplicação 100% segura. Nem mesmo as aplicações do banco. Os bancos podem quebrar, a poupança pode ser confiscada, como aconteceu em 1990. Por isso, não caia nessa lorota.

O verdadeiro risco no mundo de investimentos é a ignorância.

Se você não estudar a respeito de investimentos, o banco vai lhe vender os produtos que ele quer. E não os que são bons para você.

Nesse artigo, eu explico como funciona o investimento em ações. E você vai entender por que é possível investir de uma maneira segura.

Além disso, você pode se inscrever na nossa newsletter para receber mais conteúdo sobre o mercado de investimentos:

Quando você constrói patrimônio, o seu objetivo sempre é progredir.

Só existe uma única justificativa para vender uma parte do seu patrimônio: se você encontrar uma aplicação mais rentável.

Por exemplo, vamos supor que você comprou um apartamento por R$300 mil e recebia um aluguel de R$1400 por mês. Você nota que recebe 0,47% do valor do imóvel em aluguel.

Anos depois, ele se valorizou e passou a valer R$400 mil, porém, o seu aluguel passou a R$1500 por mês. Você nota que recebe agora 0,37% do valor do imóvel em aluguel.

Você deve vender o apartamento?

A resposta é que depende. O que você quer fazer com o imóvel?

Se você vender o apartamento para dar uma volta ao mundo, você cometeu uma decisão estúpida.

E a razão é muito simples. Você matou a sua galinha dos ovos de ouro!

Mesmo que você gaste R$100 mil e ainda sobre uma parte considerável do imóvel. O que você fez foi tirar uma perna da sua galinha. E você nunca deve fazer isso.

E se você realmente quiser fazer essa viagem? O que você faz? Use o dinheiro de outras contas. Se você se acostumar a mexer na sua galinha dos ovos de ouro, algum dia, você vai matá-la.

Por outro lado, se você vendeu o apartamento para comprar ações de empresas, você agiu conceitualmente certo.

Você não matou a sua galinha dos ovos de ouro. Você apenas mudou a sua alimentação.

Em vez de comer apartamento, ela vai comer ações de empresas.

E eu posso dizer que é uma ração bem melhor para a sua galinha.

O imóvel é estático. Ele não cresce. Quando você aluga um imóvel, você provavelmente vai gastar o dinheiro de uma forma ou de outra.

Por outro lado, uma ação é o pedaço de uma empresa. E as empresas crescem. Se você se associar a uma empresa saudável e lucrativa, os seus ganhos podem ser infinitos.

Porém, não seja bobo. O mercado de ações não é para aventureiros. Se você tratar a Bolsa como um cassino, o que vai acontecer é que a casa sempre vai ganhar. Nunca será você. Se você quer investir em ações, eu tenho duas sugestões para você:

Mas, se você investir em ações sem conhecimento, você vai engrossar a lista dos perdedores. É muito melhor você manter o seu imóvel.

Quem você deve pagar primeiro?

conquistar independência financeira

Você deve sempre se pagar primeiro.

A grande maioria das pessoas, quando recebem um salário, elas pensam em pagar o aluguel, as despesas da casa, o supermercado.

Pensam em pagar o mundo. Menos a elas próprias.

Essa mentalidade vai te ajudar a enriquecer todas as pessoas a sua volta, menos você.

Eu sempre me pago primeiro.

Por isso, todo o dinheiro que você receber, imediatamente, abata a alíquota referente à conta de Construção de Patrimônio.

Pague os seus 10% antes de pagar o resto do mundo.

O megainvestidor Warren Buffett também concorda: “Gaste o que sobra depois de poupar”. Para Buffett, você deve reservar 20% do seu salário antes de qualquer despesa.

Você deve alimentar a sua galinha dos ovos de ouro. É a melhor coisa que você pode fazer com o seu dinheiro.

Jamais pense que o que você poupa é aquilo que você deixa de gastar. Pelo contrário, o poupador é mais feliz.

Poupança para Gastos Futuros

poupanca-para-gastos-futuros

Nem tudo o que você poupa será destinado ao patrimônio.

Muitas vezes, você tem planos de gastos futuros: trocar de carro, fazer uma reforma no seu apartamento ou mesmo viajar.

E você vai utilizar o dinheiro que está guardado nessa conta.

Note que eu falei: dinheiro.

No item anterior, eu falei: patrimônio.

A conta de poupança para gastos futuros é dinheiro, não é patrimônio Portanto, o ideal é que ela esteja completamente separada do seu patrimônio.

Se possível, tenha duas contas em corretoras diferentes.

O principal parâmetro para a escolha das aplicações da conta anterior é a rentabilidade.

Primeira Regra: jamais coloque ações, imóveis, ouro ou qualquer investimento de Renda Variável nessa conta. Nunca.

A poupança para gastos futuros deve ter apenas investimentos de Renda Fixa. São exemplos: títulos públicos, CDBs e até mesmo a poupança.

Lembre-se. Você não está procurando por rentabilidade. Os investimentos de Renda Variável podem oscilar significativamente aqui.

Nesse caso, o seu principal parâmetro será a disponibilidade das aplicações. Isto é, quando elas podem ser sacadas.

Por exemplo, vamos supor que você tenha as seguintes opções:

Qual você vai preferir?

A resposta é: depende. Quando você vai gastar esse dinheiro?

Se você for fazer uma viagem daqui a 1 ano, você escolhe o CDB de vencimento mais curto.

Mas, se você for gastar o dinheiro somente daqui a 3 anos, você pode escolher o CDB de vencimento mais longo para ter uma rentabilidade melhor.

Reserva de Emergências

reserva-de-emergencias

A parte mais importante dessa conta é a Reserva de Liquidez ou Reserva de Emergências.

A Reserva de Emergências inclui todo o dinheiro que você pode precisar, caso aconteça algo na sua vida.

O ideal é que, com o tempo, você consiga formar uma reserva de emergências equivalente a 6 meses das suas despesas.

Por que 6 meses? É um número que eu utilizo, porque é o tempo que eu acredito que precisaria para conseguir um novo emprego, caso as coisas dessem errado na minha vida.

A quantidade de meses ideal de uma Reserva de Emergências pode variar de pessoa para pessoa. 6 meses é um bom numero para quem é funcionário ou para quem largou o emprego para empreender.

Se você é autônomo e trabalha para vários clientes diferentes, você não vai precisar de uma reserva tão grande, porque o seu risco de perder todas as suas fontes de renda de uma vez só é muito menor.

Porém, é importante que você tenha, digamos, 3 meses de despesas. Nesse caso, você estará protegido, caso sofra algum acidente que te impeça de trabalhar.

Além disso, a reserva de emergências pode ser utilizada para suprir despesas inesperadas, como um acidente de carro em que você vai precisar pagar o sinistro.

Agora que você já entendeu a importância de uma reserva de emergências, você pode ficar em dúvida qual a aplicação você deve escolher.

Aqui, o principal objetivo é ter disponibilidade, não rentabilidade. Por isso, eu recomendo o Tesouro Selic ou um CDB do seu próprio banco.

O Tesouro Selic rende a taxa Selic, atualmente 14,25% ao ano, e pode ser sacado diariamente a partir das 18h. Além disso, a Taxa Selic é sempre positiva, por isso, ao investir nesse título, você sempre terá um pouquinho a mais de dinheiro no dia seguinte.

O Tesouro Selic é um título indicado para a construção de uma reserva de liquidez ou emergência. E é muito melhor que a poupança, porque:

1) Rende mais. Aproximadamente 14,25% ao ano.

2) É mais seguro. O Tesouro garante diretamente tudo o que você investe nesse título. No caso da poupança, você só tem a garantia de R$250 mil pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

3) Você pode sacar qualquer dia útil a partir das 18h.

Isto é, aquele dinheiro que você pode sacar a qualquer momento. Por isso, é um dos títulos que compõe a Carteira que eu recomendo pessoalmente a todos os meus clientes.

O erro mais comum de investidores iniciantes é supervalorizar a importância da reserva de emergências.

É muito comum ver as pessoas que começam a investir destinarem tudo o que poupam por mês à construção dessa reserva.

Eu não aconselho em hipótese alguma.

Lembre-se dos percentuais sugeridos nesse artigo:

Sendo assim, comece a construir o seu patrimônio o mais rápido possível. Se você não começar hoje, dificilmente vai começar amanhã.

Está gostando desse artigo? Inscreva-se na nossa newsletter para receber conteúdos sobre educação financeira e investimentos em primeira mão:

Educação

investir-em-educacao

É um dos potes mais importantes.

E aqui eu não estou falando das despesas de educação com os seus filhos. Estou falando de despesas de educação com você.

Muita gente divide a vida entre o período de estudos e o período de trabalho. Trata-se de um grave erro.

Os jovens passam a maior parte da sua vida sem o menor contato com o mercado de trabalho. De repente, eles se formam e são jogados lá sem piedade.

O que acontece? Eles não se adaptam.

Por outro lado, os adultos imersos no mercado de trabalho jamais têm a ideia de se voltar para os estudos.

O que acontece? Eles ficam estagnados.

É muito importante que você continue estudando quando já está no mercado de trabalho.

Hoje em dia, você tem à sua disponibilidade uma grande gama de cursos de curta duração até cursos de longa duração, como os MBA.

Na hora de escolher um curso, você deve se perguntar: o que as pessoas que foram bem-sucedidas na sua área fizeram? Quais são as tendências para o futuro na sua área?

Os cursos mais tradicionais, como um MBA numa instituição renomada, podem oferecer um caminho de sucesso em algumas carreiras, como a de consultoria.

Porém, eles podem ser praticamente irrelevantes em outras carreiras.

Nesse artigo, eu conto o que eu fiz para aumentar o meu salário em 99,5%. E eu falo bastante sobre a importância de se educar continuamente.

Lembre-se: você pode reservar 10% do seu orçamento para suas despesas com educação.

Muitos jovens cometem o erro de gastar tudo o que tem para fazer um MBA.

Como você está ainda começando a carreira, existe a possibilidade de você ter escolhido o MBA errado.

Além disso, sem a experiência necessária, o MBA não vai soar tão bem no seu currículo.

Não existe uma fórmula correta. Porém, educar-se continuamente é muito importante para o seu sucesso financeiro.

Outra modalidade de cursos importantes são os cursos que não estão relacionados à sua área de trabalho. Nesse caso, você provavelmente vai optar por cursos mais curtos, por exemplo, de dois Sábados.

Os cursos online também são uma excelente opção para poupar tempo.

É muito importante, por exemplo, você investir na sua educação financeira.

Tenha em mente que você precisa continuamente se aperfeiçoar e, por isso, você deve estudar.

Diversão

gaste-com-diversao

Essa é a conta que os poupadores têm maior dificuldade. E também é a conta favorita dos gastadores.

Todo o dinheiro destinado à conta de diversão deve ser gasto sem nenhum remorso.

É o dinheiro que você pode torrar em compras supérfluas no shopping ou em restaurantes.

O mais interessante da conta de diversão é que, quanto mais cresce a sua renda, mais você deve gastar com diversão. Por isso, essa conta vai lhe motivar a trabalhar mais e melhor.

Tão logo você entrar no espírito de que é permitido torrar a conta de diversão, você vai sentir mais estímulo para ser promovido ou conseguir um segundo emprego.

Daqui a pouco, você vai usar esses 10% para comer filé ao roquefort regado a Veuve Clicquot.

Está gostando desse artigo? Inscreva-se na nossa newsletter para receber conteúdos sobre educação financeira e investimentos em primeira mão:

Necessidades

compras-no-supermercado

A conta de necessidades deve ser gasta para bancar suas despesas gerais com alimentação, roupas e sapatos necessários, moradia, contas de luz e internet etc.

Essa conta tem uma regra clara. Se você não consegue viver com 60% do que você ganha, você está vivendo errado.

A solução é simplificar. Simplifique o seu estilo de vida, de modo que ele caiba nesse orçamento.

Curiosamente, depois da demissão, a situação de maior dificuldade financeira de uma boa parte das pessoas acontece logo após receber uma promoção ou ir trabalhar num emprego de salário maior.

O que acontece é que, tão logo são promovidas, as pessoas tendem a assumir despesas de habitação ou transporte maiores.

Por exemplo, suponha que o seu salário aumentou de R$7.000 para R$8.000. Nada mal, não é?

Porém, existe uma grande chance de você sair do apartamento em que pagava R$1.500 de aluguel e passar a pagar R$2.000.

Você também vai ficar mais preguiçoso. Se, antes você fazia a faxina da casa, provavelmente vai contratar uma empregada ou um serviço independente. Mas isso pode custar de R$80 a R$150 por semana.

Rapidamente, somente a conta de necessidades vai consumir todo o seu aumento salarial.

Porém, o gerenciador de dinheiro inteligente sabe que só pode aumentar suas despesas com necessidades em R$600, pois elas correspondem a 60% do seu salário.

Por isso, ele deve escolher prioridades.

Outro ponto importante a se comentar é a respeito da grande diferença entre casais com filhos e casais sem filhos.

Uma regra que é adotada até mesmo pelas imobiliárias e pelos bancos ao financiar imóveis é que você deve destinar, no máximo, 1/3 da sua renda líquida ao pagamento de um aluguel ou às parcelas de um imóvel.

Os educadores financeiros são mais rigorosos e afirmam que você deve gastar, no máximo, 20% a 25% da sua renda em um aluguel.

Porém, o grande problema de impor um número mágico é a falta de flexibilidade.

Se você não tem filhos, o aluguel será a sua maior despesa. A segunda maior provavelmente será o carro. Portanto, você pode se dar ao luxo de gastar um pouco mais.

No entanto, se você tem filhos, você deverá pagar a escola deles também.

Por isso, você deve colocar na ponta do lápis as suas prioridades.

Se a sua renda mensal é de R$8.000, você já sabe que só pode gastar até R$6.400 com as suas necessidades.

Se você tem um filho, você pode ter uma estrutura de custos como:

Dessa maneira, você já comprometeu R$4.700 com as três maiores despesas da sua casa. Sobram R$1.700 para serem utilizados com alimentação, feira e outras despesas.

A situação muda se você tem dois filhos. Nesse caso, você vai ter que eleger prioridades.

Você pode se mudar para um apartamento menor ou mais afastado? Você pode utilizar um carro mais barato para diminuir suas despesas com transporte? Você pode colocar os filhos numa escola mais barata? Você pode remanejar uma parte das suas despesas com educação ou diversão para custear as necessidades?

A resposta para essa pergunta varia muito de pessoa para pessoa.

Eu conheço algumas pessoas que resolveram diminuir as contas de educação e diversão para 5% cada. Assim, elas conseguiam manter todos os filhos numa boa escola.

Um amigo meu tem um filho que sonha ser designer. Por isso, ele colocou o garoto numa escola mais barata e preferiu investir em cursos específicos da área.

Pode parecer estranho, mas, realmente, um bom designer não precisa saber absolutamente nada de Química.

O mesmo não se aplica se o sonho do seu filho for ser médico ou passar no ITA. Nesse caso, ele vai precisar de uma boa escola e, provavelmente, um bom cursinho pré-vestibular.

E a situação também é diferente quando você não tem filhos.

Quando eu e a minha esposa nos casamos, tínhamos uma renda total de aproximadamente R$6.000, mas pagávamos R$1.869 de aluguel. Isso era bem acima do que é recomendado.

Porém, nós julgávamos que valia a pena. Nós trabalhávamos muito perto de casa, o que reduzia dramaticamente nossas despesas com transporte. Em geral, nós passávamos o mês com uma média de 52L de gasolina, o que dava cerca de R$198 por mês.

E, por isso, nós mantínhamos nossos gastos da Conta Necessidades abaixo de 50% da nossa renda. Nessa época, nós poupávamos cerca de 30% da nossa renda.

Você é o único que pode definir as prioridades para o seu dinheiro. Porém, é muito importante que você tenha um plano de ação e que você saiba exatamente quanto dinheiro você coloca em cada conta.

O Décimo-Terceiro

03-decimo-terceiro

Quando você recebe o décimo-terceiro, talvez você pense em fazer uma reforma na casa ou arrumar a casa para o Natal.

Eu entendo a importâncias desses gastos com conforto. Porém, não negligencie o bom gerenciamento financeiro.

No final do ano, a maioria dos funcionários fica rica.

Com um salário extra, podemos fazer uma boa ceia de Natal, reservar um hotel para fazer uma viagem à praia.

Porém, no começo do ano, vem as contas, como anuidades de conselho, compras de livros escolares e impostos, como IPTU e IPVA.

Por isso, é muito importante você reservar uma parte do seu décimo-terceiro para o pagamento dessas contas.

Faça uma estimativa de quanto você vai precisar para pagar essas despesas e poupe.

Além disso, guarde, pelo menos, 20% da sua renda extra. 10% devem ser destinados à construção de patrimônio e 10% para gastos futuros, o que pode incluir a sua viagem de Janeiro.

Mas, aproveite a renda extra para se acostumar a poupar, tanto para o futuro próximo como para o futuro distante.

O décimo-terceiro é uma excelente oportunidade para você aprender a ser um excelente gerenciador de dinheiro.

Conclusão

O melhor sistema de gerenciamento financeiro é aquele que mais se adapta à sua realidade. Porém, é muito importante que você tenha um ponto de partida.

Nesse artigo, você aprendeu que:

Você precisa conhecer o seu orçamento, conhecer os seus principais gastos.

Ao dividir o seu orçamento em contas, você terá mais facilidade em organizar e entender o que você precisa fazer para viver melhor e atingir a sua independência financeira.

Você gostou desse artigo? Inscreva-se na nossa newsletter para receber conteúdos sobre educação financeira e investimentos em primeira mão: